Estudo do NIC.br analisa o acesso e o uso da Internet na cidade de São Paulo


27 NOV 2019


Estudo do NIC.br analisa o acesso e o uso da Internet na cidade de São Paulo
Publicação discute relação entre exclusão digital e social na maior metrópole brasileira

Em esforço inédito de análise das dinâmicas de exclusão social e digital estabelecidas na cidade de São Paulo, o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) lançou o estudo setorial "Desigualdades Digitais no Espaço Urbano: Um estudo sobre o acesso e uso da Internet na cidade de São Paulo".

Com o apoio do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e do Centro de Estudos da Metrópole (CEM) e suporte metodológico do projeto "DiSTO - From Digital Skills to Tangible Outcomes", da London School of Economics (LSE), o novo volume da série "Cadernos NIC.br - Estudos Setoriais" revela que a incorporação das tecnologias da informação e comunicação (TIC) na vida dos paulistanos tem ocorrido de maneira desigual nas diversas regiões da capital paulista.

Partindo da leitura desagregada de indicadores coletados para as 32 subprefeituras da maior metrópole brasileira e metodologia adotada internacionalmente, o estudo aponta relações entre exclusão digital e exclusão social, ainda mais evidente em subprefeituras localizadas nas regiões mais vulneráveis socioeconomicamente. "As desigualdades observadas entre as populações de áreas mais desenvolvidas socioeconomicamente e aquelas que vivem em áreas com maior vulnerabilidade social sinalizam a importância de se dar atenção a políticas públicas mais focalizadas", pontua Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.

A subprefeitura de Perus foi uma das exceções observadas. "Apesar de ser uma região socioeconomicamente menos favorecida, com altos índices de exclusão social, pudemos verificar um baixo índice de exclusão digital. Isso poderia ser explicado pela grande presença de jovens nessa região, que acaba impulsionando o uso da Internet e a realização de atividades on-line", explica Barbosa.

Outras duas subprefeituras consideradas como casos inesperados foram Campo Limpo e M´Boi Mirim, localidades que apresentam baixa concentração de idosos em relação ao resto da cidade e desempenho mediano em relação aos indicadores de mortalidade infantil e de concentração de áreas residenciais de baixo padrão. Segundo o estudo, a exclusão digital observada nessas regiões pode ser associada a questões geográficas. M´Boi Mirim fica localizada junto aos mananciais da cidade, território que contém, além de áreas de preservação ambiental, propriedades rurais; isto poderia apontar para um pior desempenho no indicador de infraestrutura para inclusão digital.

A evolução dos indicadores digitais na cidade de São Paulo e uma análise da apropriação das TIC em cidades como Londres e Los Angeles também são abordadas no estudo, disponível para download gratuito em: http://cetic.br/publicacao/desigualdades-digitais-no-espaco-urbano-um-estudo-sobre-o-acesso-e-o-uso-da-internet-na-cidade-de-sao-paulo/

TIC Domicílios 2018

Também foi recentemente lançada a publicação da TIC Domicílios 2018, que reúne artigos e análises sobre os resultados já divulgados da pesquisa. A 14ª edição da TIC Domicílios revelou que 70% dos brasileiros são usuários de Internet, o que corresponde a 126,9 milhões de pessoas. No recorte por classe socioeconômica, houve avanço no percentual de usuários das classes DE, que passou de 30% em 2015 para 48% no último ano. Em relação ao tipo de dispositivo, a maior parte dos usuários das classes DE acessa a rede exclusivamente pelo celular (85%), enquanto 2% utiliza apenas pelo computador e 13% se conecta tanto pelo aparelho móvel quanto pelo computador. Acesse a publicação na íntegra: http://cetic.br/pesquisa/domicilios/publicacoes